Tipo mídia de surf, só que mais legal

Quanto custa ser um surfista?

Quanto custa ser um surfista?

Prancha gringa, bermuda tecnológica, relógio ultrassônico, quilhas da NASA, deck de herói, leash de sensação invisível, pacote rumo ao nirvana, mochila recheadona de vibe, carro com acesso à liberdade, e por aí vai… Quanto custa ser um surfista?

A resposta, amigos, é relativa. E é sobre isso que Junior Faria, Carol Bridi Rapha Tognini conversam no episódio de hoje. A máxima tão repetida por estas e outras plagas, de que é caro ser um surfista, é levada ao divã do Surf de Mesa. Desta vez, tentando entender o que exatamente custa tanto no surf. Ser um surfista? Ou ser o surfista que desejamos ser?

Mesmo sem sucumbir aos modismos, diferentes realidades levantam níveis variados de barreiras financeiras de acesso à prática. Mas quanto disso realmente impede um bom surf?

É inegável que toda a indústria surfística se abastece a partir do desejo de consumo de uma imagem idealizada nos recôncavos mais agudos de nossas existências humanas. Tão sedentas por aceitação e carentes de aprovação. E é óbvio também que essa engrenagem torna viável toda uma economia ao redor do surf que, no ponto de mercado em que chegamos, se tornaria altamente impróprio rebobinar.

O que nos resta, como merecedores que somos todos, é voltar os olhos às possibilidades e diferentes meios de acesso.

Ficou curioso? Então dá o play e vem saber como e porque, independente das moedas que depositamos no surf, ainda assim ocuparemos um mesmo crowd.

 

Apoie o Surf de Mesa no Catarse
Além do Spotify, você também pode ouvir o Surf de Mesa nas plataformas Apple Podcasts, Google Podcasts, Deezer e Spreaker.
Já conhece o outro podcast da Flamboiar?  VA surfar GINA é o podcast para quem saber mais sobre o surf feito por mulheres.