Tipo mídia de surf, só que mais legal

Como organizar sua próxima surf trip

Como organizar sua próxima surf trip

É outubro, e aquele clima de preparação para entrar na reta final do ano já dá as caras. Com grande parte da população imunizada, esse pode vir a ser o verão mais aguardado da história. Para alimentar a expectativa por dias melhores, nada melhor do que começar a pensar na sua próxima surf trip. Por isso, no episódio dessa semana, Junior Faria, Carol BridiRapha Tognini se dedicam a identificar as melhores dicas para escolher uma viagem para surfar.

Mais que uma simples lista de obviedades, o Surf de Mesa se apega ao que há de mais realista para minimizar qualquer frustração quando o objetivo principal de uma viagem é surfar. Bem mais do que escolher o pico, encomendar um quiver especial ou planejar cada detalhe minuciosamente, a realidade chama para condições bem mais sutis que geralmente passam batido nas prévias. E que, acredite, podem derrubar de vez a sua chance de ir em busca do mar da sua vida.

Quer saber que dicas são essas? Dá o play e, enquanto planeja a próxima, viaja aqui com a gente:

 

1. Identifique as ondas ao redor

A gente sabe que se ver em picos que você costuma assistir nos filmes de surf dá aquele gostinho especial para a experiência. Mas, antes de mirar só na onda mais famosa, procure identificar todas as opções de ondas ao redor daquela que obviamente chamou não só a sua atenção, como a de muito mais gente. É isso que vai fazer com que você diversifique as oportunidades de encontrar uma onda ideal para o seu nível e estilo de surf, já que nem sempre a condição vai se adequar a você. E, com certeza, multiplicar as chances de surfar até não querer mais e voltar feliz da vida com a evolução. Afinal, essa é a finalidade, não é?

2. Desapegue das ideias preconcebidas

É óbvio que surfar em água quente é melhor do que surfar em água fria. E na hora da vaca, todo mundo prefere fundo de areia ao fundo de pedra. E por aí vai… Isso significa que definir o destino com base no mundo ideal pode ser a passagem mais rápida para fazer escolhas equivocadas. Abra a cabeça para experiências novas. Afinal, a ideia não é se deslocar mundo afora para viver as mesmas sensações de todo dia, certo? Pare para pensar qual exatamente é a medida da sua aversão a determinado incômodo diante da oportunidade de surfar em formações tão propícias que fazem você evoluir em uma semana o que não conseguiria em um ano nas condições de sempre. Se houver essa remota chance, será que encarar o long john é tão insuportável assim?

3. Equilibre as necessidades e estabeleça o meio-termo

É óbvio que o incentivo constante ao consumo te corrói por dentro de tantas vontades. Quem não quer estar bem equipado com um quiver inteiro e mil opções das mais variadas invenções para não deixar nada sair errado na tão sonhada surf trip? Mas antes de sair fazendo malabarismos para ter tudo que você acha que precisa, lembre-se: a finalidade da viagem é surfar

Onda, prancha e você inteiro é tudo que realmente precisa para o surf acontecer. Para evitar frustração com expectativas megalomaníacas, priorize o básico.

 

Duas pranchas podem te livrar de ficar sem equipamento se uma delas quebrar, por exemplo. Levar mais de um jogo de quilhas é prudente. Pensar na roupa adequada à temperatura da água também pode te salvar de querer fugir do mar. E investir em um bom condicionamento físico ao longo do tempo antes da viagem farão a diferença no quanto você aproveitará dias intensos de surf. Cuide para não ficar na roubada, mas não surte no excesso a ponto de tornar seu sonho cada vez mais distante e irreal.

4. Defina o tempo necessário e alinhe ao swell sempre que possível

As melhores surf trips rolam quando é possível esperar pelo swell. Sim, sabemos que tudo que você pode ter é aquele mês de férias para realizar a tão sonhada surf trip. Mas antes de planejar com meses de antecedência e contar com a sorte, ao pesquisar custos de deslocamento, faça simulações: Quanto você gastaria para passar um longo tempo no destino comprando passagens antecipadas? E quanto você gastaria se comprasse passagens com um ou dois dias de antecedência, mas com a chance de escolher os dias exatos do melhor swell dentro de determinada janela? Se o objetivo é tentar pegar o mar da vida, pode valer mais a pena mirar nos dias certos do que planejar um longo período à espera das ondas.

E para ajudar na missão, uma boa dica para te guiar é o site wannasurf.com, que indica as melhores direções de swell em vários lugares do mundo.

5. Cuide da saúde e não esqueça o básico

E aí você fez tudo de mais elaborado para nada dar errado, mas esqueceu do básico. Não adianta levar um quiver e esquecer um kit básico de sobrevivência. Parafina, chave de quilha, protetor solar, remédios para enfrentar ocorrências mais comuns. Um bom kit de sobrevivência pode evitar que você perca seus dias tão aguardados em função de situações tão bestas quanto previsíveis. Complicações gastrointestinais, insolação e outros riscos existem. Então, ser precavido é sempre melhor. Também opte por um seguro saúde para a viagem. A ideia é que volte intocado, mas ele pode te poupar bastante dor de cabeça, caso seja necessário.

6. Defina a finalidade da viagem e alinhe expectativas

Uma das primeiras perguntas que você precisa responder com máxima sinceridade é: Você está fazendo uma viagem para surfar ou uma viagem com surf incluído? Pode parecer a mesma coisa, mas são situações bem diferentes que podem gerar conflito de expectativas se você está programando sua surf trip com acompanhantes que não têm o mesmo objetivo que você. Então, para não se frustrar ou causar frustração em quem vai com você, defina muito bem qual o nível de dedicação que você pretende ter com o surf durante os dias no destino. Assim, você pode evitar que alguém que você gosta fique na roubada ou que você veja seu sonho de surfar até não aguentar mais navegando para bem longe de você bem diante dos seus olhos.

7. Escolha bem a companhia

Cruel, mas real. Tendo a definição do item 6 bem estabelecida, não se engane. Se a ideia é uma viagem de casal e um dos dois não surfa, dificilmente esta será uma surf trip real oficial, mesmo estando diante da onda dos seus sonhos. Seja adulto e tenha uma comunicação sobre suas intenções. Com um grupo de amigos, também não se engane. Objetivos semelhantes dentro e fora do mar vão fazer a diferença durante os dias da viagem. Seja frio, calculista e inteligente na escolha da companhia.

As chances daquele amigo surfão que você releva em quedas esporádicas se tornar uma pressão insuportável durante dias seguidos de uma surf trip são imensas. Se a ideia é se divertir e aproveitar ao máximo, evite marcar a trip com quem não vê a mesma graça que você no surf ou com medinas de final de semana. Se não tiver opção, viajar sozinho até pode parece deprê na primeira impressão, mas também pode ser uma experiência libertadora.

 

 

Apoie o Surf de Mesa no Catarse
Além do Spotify, você também pode ouvir o Surf de Mesa nas plataformas Apple Podcasts, Google Podcasts, Deezer e Spreaker.
Já conhece o outro podcast da Flamboiar?  VA surfar GINA é o podcast para quem saber mais sobre o surf feito por mulheres.