Quilhas e os rumos da vida

Quilhas e os rumos da vida

Estrategicamente posicionadas, vão abrindo fenda imperceptível por onde deslizam. À água, resta gentilmente ceder espaço às trilhas que norteiam a trajetória. Por vezes, em rápida acrobacia aquática desnudam-se à luz e de novo mergulham para seguir caminho. Mono, bi, tri, quadris. Festival de intenções. Soltam, prendem, aceleram. De origem sedentária, foram conquistando espaços/tempos mais flexíveis. Cores, modelos, tamanhos e encaixes que desfilam acenando com a promessa de diversão garantida no percurso. Algumas, mais aventureiras, desgarram-se para sempre buscando novas paragens… E fincadas na areia de algum pico, repousam à espera de uma mão amiga que lhes devolva ao prumo para que possam ser apenas e tão somente o que se espera delas: rumo

Cristina Pereira
Cristina Pereira

Cristina Pereira vive em meio ao pó de poliuretano e às palavras desde sempre. Foi repórter, colunista e revisora de revistas de surf por um longo tempo, e surf repórter pioneira. Fala constante e ininterruptamente e faz das palavras seu meio e filosofia de vida.